terça-feira, janeiro 22, 2008

O sorriso de sua excelência



Senhor excelentíssimo, aqui no bairro onde eu moro, muitos foram deitar o voto por si. As mulheres gostavam do seu sorriso de homem bonito e seguro. Mesmo depois dos boatos que inventaram por aí a dizer que os gostos do senhor eram duvidosos, nós não acreditámos, podia lá ser. Muitas vezes dissemos entre nós: é bom homem e sabe o que quer para o País. Mas agora o sorriso do senhor tem sido um pouco estranho, parece ficar contente quando andamos tristes e preocupados. Veja o senhor o caso de hoje, as bolsas lá para o lado do Japão e da China a cair a pique e a causar o pânico e ainda os maiores de todos, esses lá dos Estados Unidos, esses também aflitos. E o senhor a dizer tudo bem e que vamos crescer 2% e uma voz tão firme e um sorriso tão inchado. O senhor não vê, o senhor não está a ver que não estamos bem, não senhor.


Olhe a minha casa sua excelência, olhe que a prestação subiu mais de cem euros num ano, é muito senhor. Onde vou buscar esse dinheiro a mais para pagar os juros se nada nos nossos ordenados aumentou e continuaram iguais. Pensei vender as flores do meu jardim que são as mais bonitas da rua e todos gabam os muitos tons das minhas rosas, mas agora senhor é tudo muito complicado e já não se pode vender assim qualquer coisa na praça ou nas bancas de rua. Um baldinho com água e umas rosas vendidas na rua, era assim que a minha mãe nos comprava roupa nova nos saldos de cada estação.


O senhor tem um sorriso bonito, mas veja bem que não se pode rir assim por tudo e por nada e que entristecer de vez em quando faz bem, veja o nosso caso, veja o nosso entristecer. O senhor, sua excelência, veja.

~CC~

6 comentários:

Anónimo disse...

Pois!

CCF disse...

Pois é, lá isso é! :)
~CC~

JS disse...

É mesmo!
*jj*

hfm disse...

O senhor anda com a visão tapada.

CCF disse...

Anda mesmo! :)
~CC~

Anónimo disse...

Rosas? Dê-lhe guias, as piores como dava uma tia avó, a quem lhe cobiçava o jardim, distinguia bem, mostrava-se disponível para a oferta, porque sabia que não havia nada a esperar de quem muito oferecia.. .
Além disso a rosa católica no jardim de várias outras é a pior, benze-se em fingimento na presença de bispo, porque sabe que nos jornais falarão disso, numa eterna união de um Estado , uma Nação e uma Religião... São assim as rosas de ocasião... cuide das do seu jardim e faz muito bem!