quinta-feira, março 04, 2010

Poema menino

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Sou eu
Nado aqui perto de ti
Neste oceano
Azul Pacífico
É belo, quente, cheio de corais
E de meninos pobres rindo nas ondinhas brancas


Sou uma concha, sou um búzio
Um bicho do mar fechado
Mas pronto a espreitar os belos cardumes coloridos que passam
Foi por essa estreita abertura que te vi
Eras um polvo majestoso nadando
E tive medo desses teus braços fortes
Desse teu ar de terra


Sou eu
Percorro rapidamente as distâncias
Mas distraio-me a ver uma alga vermelha ou roxa
Perco-me nos caminhos
Tenho pavor das grutas fechadas de onde não sei sair
Choro amiúde
Dentro da minha concha
Desacredito

Espero por ti na curva do rochedo negro
Para me ajudares a passar
E sinto que nos teus braços
Há uma tensão doce
E fecho os olhos
Para acreditar que me proteges para sempre dos abismos
Queria ouvir-te dizer que o vais fazer

Sou eu
Se vires bem sou pequena
mas também te posso mostrar algumas coisas
deste imenso oceano
Coisas pequenas
sobre abraços fortes
sobre a dor
sobre os sonhos que habitam até o sangue dos peixes
se pudesses sonhar os meus sonhos

As coisas que tu sabes para evitar os tubarões
As coisas que tu sabes sobre a imensidão das espécies
As coisas que eu sei sobre amar muito
As coisas que eu sei sobre beijos
Beijos pequeninos, doces, suaves
Que nos ficam a dizer segredos muito tempo
Acredito.



~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

~CC~

7 comentários:

*JjS* disse...

Acredito.
Belo até às lágrimas.
Obrigado
Beijo
*jj*

continuando assim... disse...

convite para seguir a história de Alice, lá no
... continuando assim....

já começou !
espero que goste

bj
teresa

E. disse...

Muito bonito, muito doce. Comovente.

Margarida disse...

Lindo demais!!
:-)

Como as "grutas" e os linos mares ... andam sempre a par e como precisamos de amar e ser amadas!
:-)

Bjs grds

Mar Arável disse...

A ternura

ao vivo

Bjs

via disse...

esse diálogo interminável onde cada um se vai descobrindo.gostei.

CCF disse...

Obrigado, não sou poeta, mas apeteceu-me um poema "para crianças" :)
Abraços
~CC~