segunda-feira, maio 05, 2008

Dias do avesso



A roupa vestida do avesso. O ponteiro a girar num sentido e os meus passos a girar para o outro. Um cordão prestes a apertar o pescoço e mil amarras por todo o corpo. Um peso sobre as palavras. Um sorriso a afogar-se. A impossibilidade de dizer algo que faça inteiro sentido para os outros. A fuga de todos os olhares que possam ver a cor que vai dentro de mim. O peso que cada hora tem em certos dias é superior ao seu tamanho em minutos e segundos.


Uma clara vontade de abrir uma janela e ter asas para poder sair por ela.


Abraça-me Primavera.

~CC~

7 comentários:

Mar Arável disse...

As janelas abertas

servem para sair

e entrar

Conte comigo

que já estou em redor

CristinaGS disse...

Isso passa. De outro modo é um tédio :)

Carla disse...

cores cinzentas????? abre a janela para deixares entrar o sol...e sorri
beijinhos de amizade

isabel mendes ferreira disse...

eu não sou primavera....mas abraço-te.

do avesso. para melhor te ser reverso.


_________________.

CCF disse...

A maior parte das vezes gosto de vocês nesta distância tão próxima em que me chegam. Mas há dias em que dou comigo a pensar como será o vosso rosto.

Dos quatro só de um(a) sei a cor dos olhos e o sabor do abraço. Mas a todos senti.

~CC~

clorinda disse...

Olá Carla, passei também para dizer que poderá, se quiser claro,continuar a ler-me (através das palavras dos poetas, que eu tenho pouco jeito para isso) no blog Carpe Diem.
Parabéns pelas suas postagens, sempre tão sentidas e agradáveis.
Abraço Clorinda

CCF disse...

Clo, procurei-te mas não encontrei. Se voltares, deixa o teu endereço.
Beijinho
~CC~