sexta-feira, fevereiro 29, 2008

Ser

Leio durante toda a semana a entrevista ao Luís Miguel Sintra na revista Pública de Domingo Passado. E um dos paragráfos é como se estivesse dentro de mim, como se eu tivesse desde sempre procurado as palavras que ele usa.

" Sou religioso porque não sei pensar de outra maneira. Há uma interpretação do sentido da vida, uma visão da humanidade que transcende a existência de cada indivíduo e que não acaba na morte, que perdura para além da passagem das gerações, que eu só consigo interpretar de um ponto de vista religioso."
~CC~

2 comentários:

Profanus disse...

talvez , não digo que sim , nem digo que não .... fico a pensar...
Anda tanto deus externo á solta, que a haver divino só na palavra que dizemos , e muito contraditoriamente procuramos o silêncio... não desuno o bem do mal, nem procuro ser perfeito, de sagrado tenho algo ... o quê?
cordialmente
jrm

marta disse...

Sim percebo-o bem, e que belas palavras ele escolheu; mas religioso, no sentido mais lato da palavra, que penso que foi esse o significado que ele lhe deu.