quinta-feira, novembro 29, 2007

Abrigo(s)

Ilha do Ibo, Moçambique, Novembro 2007


Primeiro vi-os, tantas eram as cores e tão luminosas que os segui pelo vento quente da tarde.
Diante do olhar, o deslubramento por uma só árvore poder abrigar tantos ninhos.
Quisera eu ser ela e poder guardar tanta vida.
~CC~

5 comentários:

mar.aravel@netcabo.pt disse...

GUARDAR TANTA VIDA

PARTILHAR

COM SONHOS ACORDADOS

CristinaGS disse...

Já tinha visto estas imagens que me fizeram lembrar uma peça de Marguerite Duras, sobre um rapazito que, num exercício de evasão, passava os "Dias inteiros nas árvores"

Eu[nice] disse...

Mas... a minha amiga é como "ela"... guarda imensa vida... a minha, por exemplo, e de tantos outros que como eu precisaram do ninho construído num sítio assim! Seguro, Forte, Bonito...

Bjs.

Eu*

marta disse...

Guardar tanta vida!

Sim, quando não os ramos ficarão secos e o coração deserto.

CCF disse...

Mar, isso é o que há a fazer sempre, não deixar adormecer os sonhos!

CGS, não me lembro do que dizer apesar dos cruzamentos intensos com a Marguerite Duras, mas é uma bela expressão a que ela usa.


Eunice...não sei que caminho seguiu até aqui, mas ainda bem que veio com palavras tão bonitas e amigas :)
~CC~