domingo, maio 29, 2011

Da (tua) saudade

Pequena interrupção na história ALMAR apenas para vir falar de saudade.
(voltará, e depois dela, eu voltarei também um dia)

A saudade é matéria fisica, é coisa que ocupa corpo. É uma boca sem o seu beijo É um só rodando na pista do baile. É lá em baixo o largo da cidade vazio, por nós não estarmos lá.

Não quero parar para ver o crepúsculo porque não há com quem falar das cores.

A saudade é tão indefinida como de repente ganha voz e canta como tu me cantas quando acordas nas manhãs soalheiras do Sul e vais buscar a viola. É esse povo pequenino que sou eu, que és tu.

A saudade sou eu, uma boca sem o teu beijo.

~CC~

3 comentários:

*JjS* disse...

Saudade é também um mar e um areal.
Sem ti.
Senti.
Beijo.

deep disse...

A saudade é, muitas vezes, uma dor física.
"Todo o cais é uma saudade de pedra." disse o Pessoa e eu só posso concordar, ainda que esse cais só more dentro de nós.

Boa semana. Abraço. :)

Madalena disse...

E eu também tenho saudade destes amigos. Muitos beijinhos