terça-feira, setembro 07, 2010

Água

Tejo (Ribatejo), Março de 2009


Em geral destesto chuva, excepto quando chega depois de muitos e muitos dias de sol.

E em Cabo Verde aprendi a ver nos rostos das pessoas a tristeza da sua ausência, a saudade com que falavam de antigos rios e ribeiras. Não consigo conceber um país de rios secos, um lugar sem água doce.

Estas gotas foram uma bela variação às lágrimas de Verão, menos salgadas e sobretudo sem peso de mágoas. Nem pareciam chegar ao chão, antes voar livres de peso.

Agora pode vir sol, ainda tenho uns banhos de rio ou de mar para tomar.

~CC~

3 comentários:

R. disse...

Banhos de sol ou de chuva, o meu desejo é o de que sejam balsâmicos.

Abraço!

Margarida disse...

A água serve sempre para limpar ... :-)

... por aqui também tem chovido muito!

Bjs e tudo de bom por aí.

Margarida disse...

A água serve sempre para limpar ... :-)

... por aqui também tem chovido muito!

Bjs e tudo de bom por aí.