sexta-feira, abril 23, 2010

A Interpretação dos verbos

Perdoar, esse deixar o tempo cicatrizar as feridas, e olhar para elas como uns riscos superificiais na pele, marcas lavadas de ódio, de desprezo, de raiva. Ser capaz de estender uma mão a quem não viu a nossa quando a estendemos.

Consolar, essa capacidade de ir buscar a ternura nas dobras escondidas do coração, escavando-o à procura do riso possível para depositar num rosto triste. Ser capaz de palavras doces para oferecer num tempo de amargura.

Arquitectar, essa vontade de sonhar permanente, riscos cruzados no papel cheios de casas brancas, muitas papoilas, um sol desenhado num dia de primavera, um piquenique com cerejas e beijos leves trocados devagar. Buenos Aires, e todo o deserto ainda à espera do olhar.

Conseguir, qualquer coisa melhor que ter êxito, chegar provisoriamente a um lugar onde quando nos dizem "muito bem" sentimos o sabor do suspiro a desfazer-se na boca, a certeza de que afinal todas as escritas nos são possíveis, basta inclinar a caneta de uma determinada forma para apanhar o vento certo. A certeza de que saber pensar é afinal o mais importante. Saber que o sabemos.

~CC~

4 comentários:

*JjS* disse...

Perdoa-me se às vezes não consigo arquitectar um consolo.
Piquenique de cerejas e beijos, qualquer que seja a ordem, parece-me muito bem.
Vê-se que deste a inclinação certa para tão sábio rumo.
Beijo
*jj*

marta disse...

Todos eles difíceis, mas sempre possíveis.
Esperança pura

via disse...

ora aqui está um texto optimista! perdoar e beijar what else?

Margarida disse...

Esta sequência é iluminada pela anterior ... :-) ... pintar, bordar, amar ... segue-se: perdoar, consolar, arquitectar, conseguir ...

... receitas mágicas, para tão majestosas iguarias!
:-)

WoW!!

Bjs