segunda-feira, fevereiro 01, 2010

Marcas na areia


A praia quando chega o sol de inverno mostra as marcas das marés intensas e dos ventos fortes. É ainda uma praia quase vazia que se abre diante de nós na manhã de sábado. É preciso caminhar junto à areia molhada porque a areia seca é um conjunto de montes e vales penteados pelo Inverno. Vemos as marcas dos nossos pés rapidamente lavadas pela espuma. E andamos mais e mais, impelidos pelo desejo de ver mais adiante aquele lugar em que a ria e o mar se encontram num abraço de sal. Há muitos anos que não caminhava até à barrinha, o lugar onde os barcos andam para trás.



As ondas trouxeram com elas muitas conchas e muito lixo, uma mistura bela e desordenada das coisas mais bonitas e mais feias. No cimo de uma duna uma televisão abandonada emite a partir de uma antena de cana que alguém fez, numa instalação improvisada bem humorada. No regresso há uma baía calma onde os meninos poderiam aprender a tomar banho em paz de tal modo as ondas são mansas. Não há quase gaivotas, mas há uns pássaros mais pequenos de bico pontiagudo que brincam juntos. E vi claramente na areia as marcas das patas de uma cegonha, vi o seu andar vagaroso e majestoso.


Lembrei-me do Fernão Capelo Gaivota e de como ele marcou estupidamente a minha adolescência, como me fez aprisionar nessa hipótese de fazer a diferença face aos outros, fez-me falta ser como os outros, só querer comer e lambuzar-me nesse prazer como o imenso bando na praia. Mas não, sempre me senti só, era essa gaivota teimosa presa a qualquer filosofia capaz de vencer a força da gravidade. E isso marcou-me de tal modo que não sei se sei descolar essa teimosia das minhas células. Depois a tua mão acordou-me de mim e destes pensamentos e senti-me feliz por te ter ali.


~CC~


(e no dia seguinte e no outro, as pernas acusaram a longa caminhada até à Barrinha)

5 comentários:

Nenúfar Cor-de-Rosa disse...

Uma gaivota cheia de força e diferente de todas as outras :-)...talvez em vez de branco e cinza, em tons de azul, qui ça?! ahh pois é ..andar faz bem às pernas :-) boa semana!! Beijinho.

Mar Arável disse...

é sempre bom acoedar assim

conforme os sonhos

inventados

Bjs

legivel disse...

Um passeio com o estio ainda longe e reflexivo.
É sempre útil ter uma mão por perto depois de uma caminhada dessas. Dá-nos força para mais aventuras mentais.

E. disse...

Uma gaivota diferente das outras, mas ainda uma gaivota. Não há nada de errado nisso. Nem de muito bom, nem de muito mau. É apenas assim, uma diversidade, que faz parte deste mundo. É o que gostamos nesta ardósia, que podia ser de outra cor, mas que sendo azul, está bem, muito bem, também. Por isso me sinto em casa.

CCF disse...

Gostei de perceber o que tinha sido importante para cada um de vós nestas marcas da areia. Talvez isso seja a vantagem de manter aberta a caixa dos comentários.
Abraços
~CC~