segunda-feira, janeiro 04, 2010

Nómada


Nestas alturas, quando morre alguém que admiramos, desejamos por vezes ser crentes.

De algum modo a voz de Lhasa ecoaria no céu das estrelas, prendendo a si anjos faladores de tantas línguas quantas as que ela nos trazia com a sua voz, anjos nómadas, viajantes do universo, como ela era.

Cheguei tardiamente à música da Lhasa, e queria muito assitir a um concerto dela, mas já não será possível fazê-lo, ela deixou-nos no primeiro dia do ano. No entanto, a música, acompanhada do seu sorriso de menina, ainda brilha.

~CC~


3 comentários:

*JjS* disse...

Como é possível?
Ela que tinha uma voz denunca se deixar morrer.
Beijo
*jj*

deep disse...

Descobri a música dela há uns anos através de um amigo. Apaixonei-me logo pela voz e pela música. Quando hoje me disseram que ela tinha morrido, ainda tive esperança que não fosse verdade. Fui ouvindo algumas músicas dela ao longo do dia - hoje pareceram-me particularmente tristes. :(

Aproveito para agradecer e retribuir os votos de Bom Ano - que não faltem momentos felizes! :)

Um abraço.

legivel disse...

... sendo verdade que (infelizmente) já não pode ser ouvida ao vivo, a sua voz gravada perdurará para sempre.

Óptimo 2010!