sábado, janeiro 31, 2009

Olhar mais para o céu

É já hoje na casa da música no Porto a abertura do AIA 2009. Máximo Ferreira, que esteve connosco na última Quarta Feira, disse de forma simples qual era o objectivo desta iniciativa: é pôr as pessoas a olhar mais para o céu. E nas última palavras: vocês ensinem os miúdos a ver, a observar e a pôr em causa estas nossas almas geocêntricas.

E falou duas horas sobre o Universo, convencendo todos que a Astronomia é a ciência que mais se aproxima da poesia. Eu saí de lá à procura das fases de Vénus, esse planeta que gira ao contrário tal e qual como quando estamos apaixonados. Vim pela noite fria a imaginar a gigantesca maternidade onde todos os dias nasce uma estrela, a lua arrastar para si a água do mar, os cometas tontos que caem nos planetas para os fazer estremecer, os lugares onde a vida se existe está tão longe de nós que caso nos vissem era na pré-história que nos situariam. Trazia comigo o sentimento de ser uma infinita particula do Universo e isso relativizava tudo, colocava as coisas numa outra dimensão e às vezes isso faz tanta falta, falta a tanta gente.

Parece que hoje também há no Porto a música das esferas. Se não a podem, como eu, ir ouvir, tentem espreitar a lua. Parece que por estes dias ela está à distância miníma a que pode estar da terra.
~CC~

4 comentários:

*JjS* disse...

É verdade, sim. A lua está tão próxima que na noite passada estendi um braço, atravessei a camada de nuvens e toquei nela. Pelo menos, é o que eu julgo que deve ter acontecido durante aqueles momentos em que perdi a consciência.
;) Beijo
*jj*

Mar Arável disse...

Na lua?

ainda mais?

Tentarei desbravar as nuvens

deep disse...

Sim, é bem necessário que certas pessoas tomem consciência da sua pequenez.

As nuvens dos últimos dias têm ocultado a Lua... infelizmente.

Bom domingo. :)

Margarida disse...

... ainda há quem negue que «o sonho comanda a vida ...»?

Bjs e abrs
Margarida