segunda-feira, julho 07, 2008

Reservas de céu estrelado

Às vezes agrada-me aquela voz ciciada com que o Eduardo fala no programa da Antena 1: "Os dias do avesso". Desta vez o assunto pareceu-me da máxima importância. Dizia ele que o céu foi recentemente considerado património da humanidade, não um céu qualquer, mas o céu estrelado. A poluição luminosa aumentou tantos nos últimos anos que as grandes cidades são focos que emanam luz e tapam as estrelas. Como esta tendência de iluminar a electricidade todo e qualquer canto não irá diminuir tão cedo, há já propostas em cima da mesa da UNESCO de guardar pedaços de terra iluminados só a luz de estrelas. O primeiro lugar é um monte escuro algures na Nova Zelandia, é aí que querem construir a primeira reserva de céu estrelado. Dizia ele, com a sua doçura e o pensamento sempre nas crianças, que assim podíamos levar os nossos filhos a ver o céu que nas cidades já não conseguem ver.

Lembro-me então do teu monte no Alentejo e do Petromax à luz do qual jantavámos tantas vezes para poupar a energia do gerador. Invariavelmente se seguia o passeio pela noite que só parecia escura até vermos o imenso céu estrelado por cima de nós. Elas eram tão grandes, tão brilhantes que ocupavam os nossos olhos por inteiro em desenhos que procuravámos compreender. E as palavras tornavam-se mais redondas e mais doces e o sono chegava muito mais cedo. Curei tantas feridas entre os dias nos campos de estevas e as noites de estrelas.

Não sei se me agrada esta ideia das reservas de céu estrelado. Penso que qualquer dia todas as coisas de que realmente gostamos estarão em reservas e o resto do mundo será um lugar inabitável.
~CC~

PS- Inicialmente troquei os "Dias do Avesso" com O "amor é" este último é da responsabilidade do Júlio Machado Vaz, um homem a quem os anos não gastam a voz e o interesse. Que fique a correcção, não obstante o cansaço destes dias.

2 comentários:

apicultor disse...

Felizmente ainda vai havendo muito sítio aonde ver as estrelas e o breu da noite. È obrigatório para isso, afastar das cidades e das auto-estradas.O Alentejo, como Trás os Montes, ainda é uma enorme reserva de silencio e escuridão.
Abraço

Girafa cor de rosa disse...

olha nunca tinha pensado nisso...reservas para se poder observar o céu estrelado! Acho de facto um bocado triste termos que criar reservas em todo lado para preservar "pedaços" de coisas boas. Bjs.