terça-feira, julho 29, 2008

Perguntas intímas (I)

Decifrar em cada vida uma palavra tão curta como o amor pode ser uma tarefa de sucesso incerto e sem fim à vista. Não obstante a tarefa me parecer impossível, continuo a tentar compreender como acontece e como morre ou permanece, interessa-me sobretudo entender o modo como a sua luz pode brilhar tanto e tanto tempo como a de uma estrela.
~CC~

6 comentários:

sem-se-ver disse...

somos duas

:-))

Mar Arável disse...

Existem estrelas candentes

e cadentes

escolhe a tua estrela

se ela estiver disponível

para o teu olhar

*JjS* disse...

Podemos sempre tentar fazer um infinito todos os dias...
Beijo
*jj*

Teresa Durães disse...

luz eterna

clorinda disse...

O amor mais que vivência é estado de alma.Que essa estrela brilhe sempre nos nossos corações.
Abraço e bom descanso.
clo

CCF disse...

Cá guardo as vossas palavras!
Agora vou de férias.
Abraços,
~CC~

PS- Bem vinda Teresa.