sexta-feira, maio 16, 2008

Tempo (II)


Há segundos, minutos, horas, dias, em que solidão é um frio que parece que ter chegado para nos tomar para sempre. Acontece-nos no meio da multidão, acontece-nos entre os amigos, acontece-nos no meio do amor, acontece num dia intenso de trabalho, acontece numa noite de sexta, num domingo à tarde. Ela vem e embrulha-se em nós para nos enrolar a pele de escuro triste.


Digo-lhe baixinho: fica pouco tempo comigo.



~CC~

5 comentários:

JvT disse...

Já foi embora?

Bjs
João

CristinaGS disse...

Faz parte da nossa condição, minha amiga. "Chaque être humain est en exil dans le monde", li-o há muitos anos, ao Sartre, esqueci muitas coisas, mas esta ficou-me. Acho que para sempre. Abraço

Girafa cor de rosa disse...

às vezes estar só tb é importante, mas olha, se te consola, digo-te que estamos todos aqui, há distância de um "click", vês? Beijo:)) BOM DOMINGO cheio e preenchido sem solidão.

CCF disse...

JVT, vem e vai :)

Cristina, tens toda a razão. Mas pergunto se todos a sentem como nós, qualquer coisa que nos toma e nos impossibilita o encontro. Abraço.

Girafinha, é bom saber-te à distância de um click! Devolvo-te isso. Beijinho.

claudiafiel disse...

é acontece algumas, muitas vezes, mas o contrário também
beijo