segunda-feira, maio 26, 2008

Ser maior

Richard Zimler
Escritor


Ele costuma dizer que foi na praia que tudo começou, esse lugar onde só os adolescentes começam histórias de amor e onde nunca pensei começar nenhuma, nenhum romantismo nessa imagem de novela, ideal rejeitado. Beijos na praia?! É muito improvável, não fosse o meu mundo estar cheio de coisas improváveis em mim. Mas alguém sabe quando começa exactamente o amor? E quando é que podemos saber com certeza que amamos? Há quem diga que nessa certeza redonda e sumarenta parecida com a paz, mora também o fim do amor. E quando digo isto costumas zangar-te, talvez com razão.


Emprestei-lhe o livro como quem lhe dá uma chave para um mundo, assim é que começou. Mas sem a consciência plena do que queria e do que fazia. No empréstimo do objecto amado, como quem diz que se gostares dele é porque gostas também de mim. Se encontraras Sana, vais encontrar-me também, ela era muito pior do que eu nesse modo de tirar os pés do chão, muito pior na dor da terra perdida, muito pior no ténue fio que a ligava a tudo, muito pior em contenção, em explosão interior. Se compreenderes a dor com que ela está no mundo, muito pequena te parecerá a minha e poderás tolerá-la. Se compreenderes como é que o fogo pode arder lento e por dentro, poderás encontrar-me. E tu gostaste do livro mas não gostaste logo de mim ou gostaste mas ficaste assim sem saber até que o mar te disse, há pessoas que só escutam o mar, é por isso que as suas histórias de amor começam na praia.

Nunca ouvi a voz do Zimler, nunca o vi. Mas talvez o possa fazer amanhã, talvez amanhã. Hesito por saber que depois de o ouvir, nunca mais haverá silêncio na minha leitura. E talvez passe a emprestar livros com voz e as consequências sejam ainda mais imprevisíveis.


O Zimler, leiam-no, é um escritor maior.
~CC~

4 comentários:

*JjS* disse...

E o mar o dirá... ou deixará escrito na areia.
Linda estória assim contada à procura de Zimler.
Boa noite
*jj*

clorinda disse...

Para além de ser um grande escritor é também um ser humano maravilhoso... com um olhar que diz tudo.
O Richard Zimler é para mim daquelas pessoas que me basta saber que existem, para acreditar que vale a pena, apesar de todos os preconceitos que nos rodeiam, continuarmos a lutar por sociedades mais justas, onde cada ser humano possa ser responsável pelas opções que faz.
Um Abraço
Com um muito obrigada a si, que sabe tão bem traduzir com tanta beleza, através da escrita, tudo o que lhe vai na alma.
Para mim a Carla é também um "Ser maior"

Anónimo disse...

Então e que obra aconselha para começar??? :)

Beijinhos,
Madalena.

CCF disse...

JJS, é preciso muita atenção aos sinais, sinais são coisas preciosas.

Clorinda, tu é que és um ser maior, não tenho dúvidas sobre isso. Agradeço muito o que dizes do Zimler e de mim.

Madalena,comece por Goa ou o Guardião da Aurora, mas atenção...é sobre a inquisição em Goa e poderá haver confronto com as suas convicções, mas penso em si como uma rapariga capaz destes confrontos.

Beijos três
~CC~