terça-feira, novembro 06, 2007

Ao lado da dor

Sim, é verdade que morei muitas vezes ao lado da dor nesta passagem recente pela África em que nasci. Mas houve momentos em que a emoção sentida viajou sem lhe conseguir dar o nome que mora entre a tristeza e a alegria.

Procurei várias vezes pelas ruas este milho assado até o encontrar aqui, entre estas mulheres e estas crianças. É tudo muito caro lá, até para nós, mas estas maçarocas custavam uma bagatela, no entanto andavámos sempre com pouco dinheiro e sei que a jovem professora angolana que ia connosco nesse dia também não tinha muito. Ela contou as moedas para nos oferecer as duas maçarocas e não comprou nenhuma para ela. Como quase sempre nestas situações, embora a vontade fosse grande, esboçámos uma recusa da oferta, sabendo que não o podíamos fazer e muito menos oferecer-lhe a maçaroca que faltava para ela. E já estavámos de partida quando a mulher mais velha nos chamou e disse: esta é de oferta para si. E assim caminhámos as três pelas ruas estalando o milho quente na boca.


Escusado dizer que é desta venda que eles sobrevivem, contudo, sabem ainda dar.


É também por isso que volto.
~CC~

5 comentários:

JvT disse...

Há gente boa espalhada por todo o mundo... Ainda bem!

Cristina disse...

Vais voltar, mas visto fazeres parte do grupo a quem foram atribuídas as "nove partes de desejo", cuidado com a altura da saia... Bjs :)

marta disse...

Vais voltar?

Brevemente?

CCF disse...

JVT, nada como ter essa convicção!

Cristina, tantas partes?! Olha que não dou por elas...não sei é o que colocar na mala se só tenho biquinis, decotes profundos e mini-saias?:) Bjs mil

Marta, sim em breve. Para Pemba, norte de Moçambique, praticamente na fronteira com a Tanzânia. É uma África de grande influência muçulmana. Beijinho

~CC~

JvT disse...

Cristina,

Essa história das nove partes está mal contada... e eu sei, quase li o livro todo!